Coluna do MHARIO LINCOLN

' 1 a.jpg

Grandes obras do Cinema brasileiro

"O Palhaço", segundo filme dirigido por Selton Mello,  é uma daquelas histórias que são repletas de momentos singelos, situações bobas até, mas que transformam nossa vida em algo especial. Selton também atua no longa e interpreta Benjamin, palhaço do Circo Esperança. Ele divide o picadeiro com seu pai, Valdemar, interpretado por Paulo José. Juntos, formam a dupla Pangaré e Puro Sangue. A trupe percorre o interior de Minas Gerais numa pequena caravana, fazendo espetáculos em cidades como Passos e Montes Claros. Um filme que traz ótimas recordações e momentos de muita emoção.

AINDA CAUSANDO GRANDE REPERCUSSÃO

o depoimento gravado em 2010, com a professora, mestre e doutora em história, Maria de Lourdes Lacroix, para o Instituto Pró-Memória do Maranhão – Promem. Em uma hora e oito minutos de gravação, a professora fala sobre a sua tese, em que contraria a fundação da cidade pelos franceses e que gerou o livro de sua autoria: "A Fundação Francesa de São Luís e seus Mitos". Polêmica, a publicação tornou-se uma  referência e fonte de discussão nos meios acadêmicos e intelectual.

MILAGRE?

Em meio às turbulências da Pandemia, A Livraria Leitura vai inaugurou outra unidade em São Paulo. A 17ª loja da rede no Estado, e sétima da capital. 

A empresa dá, assim, continuidade ao seu plano de expansão, que já a transformou na maior rede em unidades físicas do Brasil, com 84 lojas espalhadas por 21 Estados.

Como você vai de História Literária?

O formalismo russo, também conhecido por crítica formalista, foi uma influente escola de crítica literária que existiu na Rússia de 1910 até 1930. Teve como objetivo o estudo da linguagem poética enquanto tal. Dela fazem parte Viktor Chklovsky, Vladimir Propp, Yuri Tynianov, Boris Eichenbaum, Roman Jakobson e Grigory Vinokur) que revolucionaram a crítica literária entre 1914 e a década de 30.  O formalismo russo exerceu grande influência em pensadores como Mikhail Bakhtin e Yuri Lotman e no estruturalismo. Os membros do movimento são considerados os fundadores da crítica literária moderna.

PLATAFORMA REPERCUTE LACROIX

A Plataforma Fecetubes. com.br, reproduz na íntegra o depoimento da professora Lacroix, por autorização do curador do Promem - Instituto Pró-Memória do Maranhão, jornalista Fernando Baima.

Acesse agora:  https://www.facetubes.com.br/noticia/1397/livro-polemico-qa-fundacao-francesa-de-sao-luis-e-seus-mitosq-de-maria-de-lourdes-lacroix

Vale ler, ouvir e ver.

O CHORINHO "DEIXA O CORAÇÃO FALAR"

"Entre tantas coisas lindas que compartilho aqui com vocês, eu não poderia de deixar de enaltecer a voz maravilhosa de ANA ROSA @nanarosa28 .

Ela arrasaaaa e com muito brilhooo. Sucesso minha amiga!!!!" (Site Boomerang). Resposta da intérprete ANA ROSA, que gravou o Chorinho DEIXA O CORAÇÃO FALAR, de Mhario Lincoln e Wellington Reis. "Ainda em clima de lançamento desse chorinho lindo de Mhario Lincoln e Welllington Reis. Dois grandes compositores que me presentearam com o convite de interpretar “Deixa o coração falar”. Canção que traz muito amor e romantismo, coisas eu não dispenso nunca! Mas claro que deu um frio na barriga, pois nunca tinha cantado chorinho, por mais que eu já conhecesse através de Tia Fátima (@fatima.passarinho) que sempre me encanta com suas interpretações. Assisti suas participações como, com o Grupo Regional Tira-Teima, onde pude me familiarizar e influenciar por esse gênero musical tão bonito. Aos cuidados e com a direção musical do querido Gordo Elinaldo, gravamos o choro, Maria Cecília gravou as imagens da mamãe🥰 e Mhario Lincoln finalizou com as edições do vídeo, deixando ele assim, cheinho de Amor!"💕

BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ DISPONIBILIZANDO GRANDES OBRAS


A Biblioteca Pública do Paraná publica livros de diversos gêneros — conto, poesia, romance, entrevistas, artes gráficas, edições fac-similes , que ao mesmo tempo suprem lacunas do meio editorial e oferecem ao público uma dimensão clara da produção literária estadual. Os títulos do selo Biblioteca Paraná são distribuídos para todas as bibliotecas públicas do estado e várias instituições culturais do país. Também estão disponíveis para download gratuito, confira abaixo:

https://www.bpp.pr.gov.br/Pagina/Selo-Biblioteca-Parana#

CENTENÁRIO DO MESTRE

No centenário do mestre Antonio Vieira, à esquerda, a presença de Marcia Carvalho, Salomão Junior, Augusto Pellegrini e Wellington Reis (intérpretes e compositores aplaudidos no Estado e fora dele). Com Wellington Reis fiz o chorinho DEIXA O CORAÇÃO FALAR, com magnífica interpretação de MARIANA ROSA, foto à direita. Com certeza sua voz e sua performance, contribuíram muito para o sucesso constante dessa música, aliás, um chorinho genuinamente maranhense.

Para assistir, basta acessar o link:

https://www.youtube.com/watch?v=VTXzUEzPY0s

A CIÊNCIA CAÇA DNA'S DE SUPER ARTISTAS. DESTA VEZ O DE  "DA VINCI"

Como se sabe que Leonardo Da Vinci não se casou nem deixou filhos, a ciência foi em busca do irmão dele, Domenico, que se casou e teve descendentes. Assim, através do irmão, a ciência passa a investigar a genialidade do mestre da Vinci com uma arma inédita: a genética. Uma parceria entre as universidades Rockefeller, em Nova York, e de Florença, na Itália busca recuperar os genes do pintor e identificar possíveis segredos sobre suas habilidades. Uma das frentes desse esforço vem de um estudo publicado recentemente que reconstruiu a árvore genealógica da família e identificou catorze descendentes vivos. 

69548552_2687717031247677_755864044518244352_n.jpg

UMA LIÇÃO DE HUMILDADE E DE RESPEITO AO ANTECESSOR

A emocionante homenagem ao antecessor, feita pelo imortal José Neres, ao tomar posse na Cadeira 36, da Academia Maranhense de Letras, 

AML, em 19/03/2015:

"(...) o teatrólogo, contista, jornalista e romancista Ubiratan Teixeira, meu antecessor nesta cadeira 36, jamais será substituído e a cerimônia de hoje não é um ato de substituição de uma pessoa por outra, mas tão somente um momento de sucessão, uma cerimônia solene na qual o passado e o presente se encontram, e, por alguns momentos, andam de mãos dadas rumo a um futuro incerto (...)". 

PESQUISAS LITERÁRIAS/GRANDES AUTORES: TEXTOS ESCOLHIDOS

"Augusto dos Anjos nas entrelinhas". Tese defendida por Maria Olívia Garcia Ribeiro de Arruda, no IEL, revela um autor comprometido com a crítica social

A pesquisa realizada por Maria Olívia concentrou-se no livro-poema Eu, o único publicado pelo poeta (1912). A ideia de analisar a obra partiu da teoria sobre o “modo delével de produção de efeito-ilusão-Brasil”, desenvolvida pelo professor Foot Hardman. Nos escritos augustianos, conforme a autora da tese, é possível fazer a leitura das vozes das vítimas que foram apagadas pela história oficial. Para chegar a essa compreensão do trabalho de Augusto dos Anjos, ela promoveu uma extensa investigação em torno da literatura brasileira e dos jornais paraibanos, leopoldinenses e cariocas produzidos na época. Além disso, também leu correspondências de vários escritores contemporâneos a Augusto dos Anjos e esmiuçou as referências presentes nos escritos dele, incluindo as cartas enviadas pelo poeta, bem como a prosa publicada na Paraíba e os manuscritos encontrados em Leopoldina (MG). O objetivo, explica, foi entender melhor o autor e sua obra, a partir do resgate de elementos com os quais teve contato e/ou pelos quais parece ter sido influenciado. 

O texto acima é parte da íntegra escrita por MANUEL ALVES FILHO, cuja íntegra está em: 

https://www.unicamp.br/unicamp_hoje/ju/outubro2009/ju444pdf/Pag12.pdf

Untitled 6.jpg

DOPS

## Algumas ideias que sumiram e precisavam ser reabilitadas. Uma delas:  os suplementos culturais dos Diários Oficiais, como a que está no Museu da Imprensa, encarte do Diário Oficial da União. Circulou de setembro/outubro de 1987 a janeiro de 1990 e teve colaboradores de peso:

 

## José de Arimathéa Tito Filho, Ledo Ivo, Ernesto Silva, Arnaldo Niskier, Emir Sader, Marina Colasanti, Vera Brant, Francisco de Assis Barbosa, Rogerio Sganzerla, Adolpho Bloch, Cristovam Buarque, Carlos Chagas, Carlos Heitor Cony, Affonso Heliodoro dos Santos, Antonio Houaiss, Paulo Mendes Campos, Afrânio Coutinho, Austregésilo de Athayde e outros de igual quilate.

 

## Foram 16 números publicados em quatro anos de circulação, tendo algumas co-edições com a Academia Brasileira de Letras, Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, Fundação Gilberto Freire, Fundação Cultural de Bom Despacho (MG); Memorial JK, Fundação Joaquim Nabuco, Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe e Fundação Espaço Cultural da Paraíba.​​​​​​​

## Os filósofos brasileiros da atualidade estão aí para comprovar que a filosofia não foi só motivo da atenção dos gregos ou romanos. Pois fiquem sabendo que o Brasil tem alguns nomes incluídos no que se chama de 'novo clube da filosofia contemporânea".

 

## A Lista foi feita por Rebeca Fuks, Doutora em Estudos da Cultura, e contempla, por exemplo, Leandro Karnal (1963), Viviane Mosé (1964), Luiz Felipe Pondé (1959), Marilena Chauí (1941), Márcia Tiburi (1970), Mario Sergio Cortella (1954),  Djamila Ribeiro (1980), Silvio Gallo (1963), Miguel Reale (1910 - 2016),  Leandro Konder (1936-2014) e Clóvis de Barros Filho (1966). Você concorda?

 

## Os mais lidos: "Mentirosos", de E. Lockhart no topo da lista. O livro escrito por um brasileiro melhor colocado neste lista idealizada pela https://www.publishnews.com.br/ aparece, somente, em 3º e é um livro de autoajuda. Escravidão, do fantástico Laurentino Gomes e o romance Torto arado, de Itamar Vieira Junior, aparecem, respectivamente, em 6º e 7º lugares. Tem alguma coisa errada ou o brasileiro gosta de ler os "estrangeiros de fora"?