O evento

A NOITE EM QUE O PROTOCOLO PERDEU LUGAR PARA O CORAÇÃO

(*) Mhario Lincoln

Quando eu me despedia de todos, um convidado para a posse dos dois novos membros da Academia Poética Brasileira foi explícito: "Mhario, vocês quebraram todos os tabus imagináveis e inimagináveis".
Sim. Quebramos. Pela primeira vez, deixamos de lado o rigorismo do Protocolo, onde longos discursos de acolhimento e agradecimento, sobre o patrono e do empossando, acabam deixando muitos adormecidos em seus próprios pensamentos, enquanto o som das belas obras-primas, os discursos, reverberam entre as quatro paredes do templo.
Desta vez, como se fosse algo súbito e espontâneo, estava eu com os papéis cerimoniais para seguir à risca. Tudo certinho. Porém os olhos vivos da platéia, atentas a qualquer que fosse a manifestação no palco principal, levou-me por outro caminho. Isso porque, as palavras tão rápidas (mas eloquentes) dos dois empossandos, Paulo Roberto Pereira da Cunha e Olinto Simões empurraram ladeira abaixo o restinho de possível protocolo que ainda poderia existir. 
Ao iniciar seu belo discurso, disse Paulo Cunha: "Na Literatura o Curto é maior que o Comprido. Há poemas que contém o Universo...". Esse foi o estopim. Olinto, em sua bondade, já que é contestador, desta vez, foi o Olinto alma e coração; não só massa cinzenta pulsativa e vibratória: "Cheguei aqui trazendo 37.843.200 minutos. Me deram 10 minutos aqui, hoje. O que fiz para chegar até aqui? Então, resumindo... Vivi!". Lindo, não é?
Ambos se doaram de tal forma, pelo coração, que a liberdade de compartilhamento encheu o auditório JapãoxBrasil da ACRIDAS - Associação Cristã de Assistência Social e o transformou num único personagem: A VIDA!
Foi assim que as quase 2 horas de solenidade se tornaram poucas para a total interação entre Empossandos, Membros-Efetivos da APB, Convidados, Voluntários, Parentes e Diretores da Instituição.
Especialmente quando o presbítero Fabiano Pereira, vice-presidente que representou toda Diretoria ACRIDAS, disse que via ali...uma demonstração de que a Poesia também salva vidas. Logo neste momento, todos nós fomos tomados de uma imensa benção e, como um bálsamo, todos - literalmente todos - tomaram posse, discursaram, se emocionaram e participaram diretamente do evento. Naquele instante, uma borboleta amarela que esvoaçava fortuita, pousou suavemente sobre o projetor de vídeo e lá ficou e ouviu c
ada um dos poetas presentes. Eles foram chamados e compartilharam seus momentos únicos. 

Osmarosman Aedo falou dos membros-efetivos da APB que lá estavam. Dois vídeos de cerca de 1,5 minuto trouxe-nos NERUDA; e um outro, com a força da Poesia, em repente.


Assim, foi-se o protocolo. 
Fica meu mais puro agradecimento a Superintendente Leolina Cunha, ao presbítero Fabiano Pereira, vice-presidente, ao Gerhard Fuchs, presidente da Associação Cristã de Assistência Social, ao empresário

Gunther Algayer, por sua doação

humana a pro dos mais necessitados,

e toda equipe ACRIDAS. 

Especialmente, Willian Amaral

(foto abaixo), esse homem de

Deus que sempre nos abraça

com um sorriso imenso de carinho

e atenção.

Olinto Simões

Paulo Cunha

Mhario Lincoln e Cirlei Fajardo

Com Veridiana Lincoln e Vera Itajai

Essa equipe é incrível. Voluntários da ACRIDAS, iluminadas:  Caroline Silva, Angela Paulinha, e Cayana Dória (D), com ML e Veridiana

(E), acima: Osmarosman Aedo, membro-efetivo da APB. (D): Silvana Mello, membro-efetivo APB. (E): Vanice Zimerman, membro-efetivo APB

Sede: Curitiba - Paraná

Envie seus trabalhos para mhariolincolnfs@gmail.com